EM MOVIMENTO

Núcleo de Viseu dinamiza acções de alerta contra a violência sobre as mulheres

Procurando alertar para a grave ofensa a direitos da pessoa humana que constitui a violência exercida sobre as mulheres, o Núcleo de Viseu do MDM dinamizou, em parceria com variadas entidades locais, diferentes iniciativas.

Foi na Escola Secundária Viriato que o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres começou por ser evocado, com uma exposição alusiva ao tema e a dinamização do jogo “Sim, a Violência também se mede”, tendo por base o Violentómetro anteriormente editado. Esta iniciativa procurou sensibilizar a comunidade escolar e especialmente os discentes, para as várias formas de violência que atingem particularmente as mulheres, tanto no domínio público como no domínio privado. A iniciativa integrou-se no âmbito da Promoção e Educação para a Saúde (PES), bem como nas actividades da Biblioteca Escolar, procurou ajudar na detecção e denúncia de situações que ocorrem nas relações interpessoais em contexto escolar e nas relações de intimidade, bem como alertar para o risco a que se expõem os jovens, evidenciando que a violência, uma vez ocorrida, tenderá a aprofundar-se, levando a consequências nefastas na sua saúde e bem-estar, prevenir atitudes e comportamento violentos, alguns deles tornados naturais ao nosso quotidiano e, por isso, consentidos, mas que constituem ofensas à dignidade e à integridade da pessoa humana.

A convite da CPCJ de Nelas, em parceria com a associação Ideias Solidárias e a Câmara Municipal de Nelas, dinamizou ainda uma tertúlia (“Está na hora de falar sobre violência”) na localidade de Canas de Senhorim, após distribuição de violentómetros à população. Abordadas as diferentes formas de violência de que as mulheres são alvo, a conversa centrou-se sobre o impacto que elas podem assumir junto das crianças e jovens a ela expostas, nomeadamente em contexto familiar.

Dia 26 foi a vez de o futebol feminino se associar a esta efeméride. No campo 1º de Maio no Fontelo em Viseu, jogadoras do Viseu 2001 bem como a equipa de arbitragem, entraram em campo exibindo uma faixa que afirmava “Violência contra a mulher não tem desculpa”, numa acção muito aplaudida.

Em parceria com o bar Pinguinhas em Viseu, “Triste sina, Melhor fado” foi o título dado a uma sessão de fados, poesia e tertúlia à volta da representação da mulher nas letras cantadas, no passado e no presente, por intérpretes do fado. Da mulher subserviente e desgraçada (Triste sina) à mulher dona da sua própria vida, emancipada, capaz de afirmar os seus direitos como pessoa humana (Melhor fado), numa postura de quem recusa ser esmagada pelo destino. Uma noite memorável.

O ciclo de iniciativas terminou este domingo, 10 de Dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos, para afirmar que todas as formas de violência contra as mulheres são uma questão de direitos humanos. Quinze dias depois da efeméride, quem dela lembra? Designada “Lembras-te? Lembra-te” esta acção, através da fixação de post it com inscrições alusivas, em espaços públicos do centro da cidade de Viseu, denuncia o incumprimento de direitos tão elementares como o direito à vida, à segurança, à dignidade, à saúde, à integridade física e moral, à liberdade e à igualdade. Apela ainda às mulheres que exijam o cumprimento dos direitos e da lei em todos os locais, nomeadamente aqueles onde trabalham, que não desistam de lutar por uma vida em que a dignidade seja efectiva.

wb_gestao2Núcleo de Viseu dinamiza acções de alerta contra a violência sobre as mulheres

Related Posts