EM MOVIMENTO

MDM recebe Medalha de Mérito do Município de Lisboa

O Dia Internacional da Mulher foi o dia escolhido para a Câmara Municipal de Lisboa distinguir o MDM com a entrega da Medalha Municipal de Mérito. A cerimónia, que decorreu no Salão Nobre da Câmara Municipal, contou com a presença de inúmeros convidados que se associaram a esta justíssima homenagem.

O município distinguiu, desta forma, «o trabalho desenvolvido pelo MDM em defesa dos direitos das mulheres ao longo dos seus 50 anos de existência», como lembrou o presidente da autarquia, Fernando Medina, considerando ainda tratar-se do «justo reconhecimento a um movimento com um património de intervenção constante e permanente na luta por políticas de igualdade e pelo cumprimento dos direitos das mulheres».

Sandra Benfica, que recebeu a distinção em nome do MDM, afirmou que esta decisão da Câmara Municipal de Lisboa é uma decisão que muito honra o MDM, «particularmente num tempo em que os direitos e a protecção das mulheres sofrem reveses em Portugal e no mundo». Lembrou também palavras de Maria Lamas, fundadora do MDM e sua Presidente Honorária, para vincar que «a importância do reconhecimento do papel e da luta persistente e continuada de um colectivo de mulheres na defesa dos direitos e da dignidade de todas, é ainda maior porque através dele se está a reconhecer sobretudo a importância e a justeza das causas que abraçamos».

A cerimónia foi encerrada por um breve momento musical de guitarra portuguesa, com Luísa Amaro e Ana Sadio.

 

 

 

 

 

Permitam que as primeiras palavras sejam de agradecimento pela atribuição da Medalha de Mérito Municipal ao Movimento Democrático de Mulheres “pelo trabalho desenvolvido em defesa dos direitos das mulheres ao longo dos seus 50 anos de existência”.

Antes de mais, o nosso agradecimento  à Câmara Municipal de Lisboa, autarquia com quem temos uma longa relação de cooperação, cooperação que queremos aprofundar, de modo a permitir uma melhor intervenção no nosso concelho, em áreas fundamentais para a defesa dos direitos das mulheres e da sua participação.

Relembro, a titulo de exemplo, o recente trabalho conjunto realizado em torno do combate ao tráfico de mulheres e o percurso que levou ao compromisso de criação do plano de intervenção municipal na área da prostituição, que muito saudamos, por corresponder ao caminho que o MDM e outras organizações de mulheres tem preconizado.

Reiteramos aqui a nossa disponibilidade para prosseguir o trabalho dedicado para a sua implementação que tanta falta nos faz.

O nosso agradecimento também dirigido ao Partido Comunista Português pela apresentação da proposta de atribuição desta distinção, bem como ao Partido Socialista e Independentes que a subscreveram, e a todos os outros partidos que contribuíram para a unanimidade da decisão.

A todos, o nosso reconhecimento pela vossa iniciativa e decisão, que muito nos honra particularmente num tempo em que os direitos, a protecção das mulheres face à multiplicidade de violências que as afectam no seu quotidiano, e a sua própria condição, sofrem tantos revezes, em Portugal e no mundo.

É exactamente por isso que esta distinção assume um carácter tão importante para nós.

Maria Lamas, Presidente Honorária do nosso Movimento escreveu um dia:

«As mulheres que lutam pela dignificação do sexo feminino constituem quase sempre uma minoria. Mas isso não diminui nem a importância nem a justiça das suas reivindicações.».

Convoco aqui as palavras de Maria Lamas, revestidas de uma enorme actualidade, para sublinhar que a  importância do reconhecimento do papel e da luta persistente e continuada de um colectivo de mulheres na defesa dos direitos e da dignidade de todas, é ainda maior porque através dele se está a reconhecer sobretudo a importância e a justeza das causas que abraçamos.

Por isso um último agradecimento, também em ele em jeito de justo reconhecimento dirige-se às sucessivas gerações de mulheres que têm construído, ao longo de muitas décadas, a acção do MDM em prol da emancipação das mulheres na nossa cidade e no nosso País.

Com elas, sempre em estreita ligação à realidade e aos problemas, mas igualmente aos anseios, aos sonhos e às mais sentidas aspirações das mulheres do nosso Concelho, este Movimento vem ao longo de cinco décadas movimentando-se com a força da vida!

Nasceu aqui na cidade de Lisboa – na Padaria do Povo, em 1968 – e lançou-se a tarefas mil, num tempo em que a mais pequena podia significar o maior perigo, nunca desistindo… sempre prosseguindo… sempre mais alto… até onde as forças permitiram.

A todas elas, a nossa homenagem.

 

Senhor Presidente, Dr. Fernando Medina

Senhoras e Senhores

Caríssimas Amigas e Amigos

Não nos é indiferente a data escolhida para esta sessão.

O Dia Internacional da Mulher é uma data indelével  na conquista e defesa dos direitos das mulheres. Há mais de um século, esta data marca o passo da construção, tantas vezes difícil, mas sempre sempre empolgante,  da emancipação das mulheres de todo o mundo,  pelo direito a ter direitos, pela justiça social, pela igualdade, contra a violência e os maus tratos, pelo progresso e desenvolvimento, e pela Paz.

No seu percurso de 50 anos, o MDM orgulha-se de ter sempre assinalado esta data, que é sua, sempre com entusiasmo e a certeza de que ela une as mulheres na defesa dos seus direitos, na alegria de ser mulher.

Temo-lo sempre feito em luta pela eliminação das desigualdades, discriminações e violências sobre as mulheres. Mesmo quando o fascismo proibia a  sua celebração, porque esta também é uma luta pela liberdade. Por isso comemoramos o Dia Internacional da Mulher entrelaçando-o com o 25 de Abril, trazendo à nossa memória colectiva os direitos conquistados pelas mulheres com a Revolução, para que estes se cumpram e avancem.

Como já referi, no tempo presente, persiste a desigualdade e a discriminação das mulheres, falha a protecção que lhes é devida em situação de vulnerabilidade face à multiplicidade de violências, persistem concepções retrogradas no que respeita à sua própria condição e reconhecimento do seu estatuto e papel social. E é no tempo presente que o MDM trás para a rua a exigência de uma verdadeira política de igualdade que dê resposta aos problemas mais sentidos pelas mulheres, e que respeite o direito de todas a viverem uma vida melhor, digna, mais segura e feliz.

Impõe-se para tal a adopção de políticas que tragam para a vida das mulheres a igualdade já consagrada em Lei.

Políticas que dêem um combate sem tréguas à violência doméstica,  e a todas as formas de violência sobre as mulheres.

Políticas que dêem um combate comprometido ao tráfico humano e respostas à protecção das mulheres prostituídas.

Políticas que nos permitam ser trabalhadoras, mães e cidadãs com condições de estabilidade, sem precariedade, sem qualquer tipo de discriminação no acesso ao trabalho ou em função da maternidade e paternidade.

Políticas que preconizem o aumento dos salários, a redução dos horários de trabalho, o direito à carreira e progressão profissional – o direito a ter tempo para trabalhar e para viver.

Políticas que permitam às mulheres terem trabalho com direitos e igualdade salarial, e o acesso aos serviços públicos de saúde, educação, justiça e transportes tão fundamentais para a nossa qualidade de vida.

Políticas que garantam condições de podermos ampliar a nossa participação social, política, cultural e desportiva – em igualdade.

Por tudo isto, amanhã vamos realizar uma Manifestação Nacional de Mulheres, aqui em Lisboa.

Será uma grande Manifestação Nacional de Mulheres, que unirá milhares de mulheres de todos os cantos do país, de todas as gerações, experiências e saberes, na justa exigência  de igualdade, não apenas na lei, mas na vida de todos os dias.

Amanhã cá estaremos inundando as ruas de Lisboa a uma só voz  reclamando o cumprimento e respeito dos nossos direitos e uma verdadeira política de igualdade, inseparável dos valores de Abril, do progresso social e do desenvolvimento do País!

Estendo-vos o convite para nos acompanharem, sublinhando que a luta pela igualdade diz respeito a todas e todos, e nela todas e todos fazem falta!

 

Senhor Presidente, Dr. Fernando Medina

Senhoras e Senhores

Caríssimas Amigas e Amigos

Na celebração dos 50 anos do MDM, o seu trabalho foi distinguido por muitas entidades e autarquias, nomeadamente pelas Câmaras Municipais do Porto, Santa Maria da Feira, Odivelas, Setúbal, Sesimbra, e agora Lisboa. Não escondemos nem a honra nem o orgulho sentido.

Mas creiam que para nós, todo o gesto dirigido a este Movimento de Mulheres é assumido sobretudo com responsabilidade de continuarmos a honrar o compromisso maior que preside à razão de ser deste Movimento: a certeza de que as mulheres do nosso País contam com a nossa dedicação, a nossa teimosia, na luta em defesa dos seus direitos e na eliminação de todas as formas de violência no trabalho, na família e na sociedade.

Porque esse é o combate do nosso tempo!

Muito obrigada.

wb_gestao2MDM recebe Medalha de Mérito do Município de Lisboa

Related Posts