EM MOVIMENTO

Comemorações Dia Internacional pela Eliminação de Violências, em S. João da Madeira, Aveiro

Mesa Redonda «Combate e prevenção das violências exercidas sobre as mulheres»

O núcleo de Aveiro do MDM – Movimento Democrático de Mulheres iniciou no dia 19 de Novembro, com o apoio da Câmara Municipal de S. João da Madeira, as comemorações do Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres, na Torre da Oliva, com a realização de uma mesa redonda, cujo tema foi o “combate e prevenção das violências exercidas sobre as mulheres”. Foi também inaugurada a exposição “Sonos Falados”, com uma visita guiada.

A Mesa redonda, que contou com quase uma centena de participantes, teve a intervenção de Clara Reis, Presidente da Assembleia Municipal de S. João da Madeira, de Carlos Silva, Diretor Técnico da Associação de Jovens “Ecos Urbanos”, de Jorge Fraga, Coordenador da equipa de Entre Douro e Vouga da Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, de Micaela Marques, presidente da CPCJ de S. João da Madeira, de Célia Silva, responsável pela ação social da Câmara Municipal de S. João da Madeira, da 1º Sargento Marlene Freitas, chefe do Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas do Comando Territorial da GNR – Aveiro, de Eva Cruz, escritora, de Alírio Martins, presidente do Sindicato dos Corticeiros do Norte e de Joana Lima, do Conselho Nacional do MDM e técnica do projeto “Para Além do Amor – agir e convergir para mudar”.

Tendo em conta que a temática geral das comemorações é a “Violência dentro e fora de portas”, a mesa redonda debateu e aprofundou, entre outras, as seguintes questões: violências exercidas sobre as mulheres, na família e na sociedade, nomeadamente no trabalho, a desregulação dos horários de trabalho que não permitem o acompanhamento necessário das crianças e jovens pela mãe e pelo pai, as situações de pobreza (as mulheres continuam a ser as mais pobres entre os pobres) e a forma como isso despoleta situações de violência, a intervenção necessária para reinserção dos agressores, o papel da literatura no combate à violência, seja no relato da realidade, seja na desocultação de estereótipos e mitos sociais que envolvem estes fenómenos, a necessidade de se trabalhar, com as crianças, desde tenra idade, as temáticas da igualdade de género e a prevenção das violências, a apresentação de instrumentos produzidos pelo MDM, desde 2005, e que podem ser usados com crianças e jovens, em escolas e outros espaços de interação juvenil.

Na inauguração da exposição, a Câmara Municipal fez-se representar pela vereadora, com o pelouro da educação,  Irene Guimarães. As pessoas presentes foram convidadas a percorrer o espaço, a ver e a refletir sobre “Os Sonos Falados” que é um projeto artístico, realizado pelo Núcleo de Évora do MDM, que contou com a participação de 104 mulheres, algumas das quais, vítimas de violência. A proposta consistiu em distribuir uma pequena almofada e colocar o desafio de fazer uma intervenção plástica, tendo em conta que a almofada, enquanto objeto, é o local físico onde são depositados diariamente os sonhos, as ansiedades, os medos e as ambições que se vão encadeando diariamente. O desafio consistiu no convite a tentar representar simbolicamente o depositário desses sonhos, e/ou medos, daquelas mulheres. Simultaneamente, foram expostos documentos, com intervenções do MDM ao nível das questões das violências e instrumentos desenvolvidos em projetos.

wb_gestao2Comemorações Dia Internacional pela Eliminação de Violências, em S. João da Madeira, Aveiro

Related Posts