DIA INTERNACIONAL DA MULHER 2013


8 de Março
DIA DE COMEMORAÇÃO E LUTA DAS MULHERES EM TODO O MUNDO

Há mais de cem anos que o 8 de Março foi proclamado Dia Internacional da Mulher, como dia de luta das trabalhadoras por melhores condições de trabalho e de vida, horários e salários justos e sem discriminação para as mulheres.

Desde então, um longo caminho foi percorrido de acção reivindicativa e luta por direitos iguais no trabalho, na lei, na participação cívica e política, no acesso ao desporto e cultura entre mulheres e homens.

A 8 de Março, comemoram-se os avanços e as mulheres lutam num amplo movimento solidário, em todo o mundo, pelo direito a ter direitos, pela justiça social, igualdade, progresso e paz.

O MDM saúda e reafirma a sua solidariedade com todas as mulheres do mundo, envoltas em guerras injustas e submetidas a muitas formas de violência, fome, tráfico de seres humanos, prostituição, escravatura laboral, atentados contra a sua própria vida e a de seus filhos, com a certeza de que um dia a vitória chegará.

Portugal está já no topo das desigualdades sociais. 

Cada dia que passa a política do Governo PSD/CDS é mais autoritária e abusiva, destrutiva da vida dos portugueses, diremos mesmo criminosa. A limitação de direitos a quem trabalha, o desemprego, as discriminações e as desigualdades são cada vez mais violentas.

As mulheres e as crianças continuam a ser as camadas mais vulneráveis, empurradas para a exclusão social, vítimas da violência física e psicológica no seio da família.

Ser mulher em Portugal significa ser o rosto da pobreza das famílias, ter as mais baixas reformas e pensões, ter a maior taxa de privação material, ser mais de metade dos beneficiários de prestações de desemprego, auferir em média um subsídio de desemprego dos mais baixos, ter a maior precariedade no emprego, ser despedida ou impedida no acesso ao trabalho por engravidar ou exercer os direitos de maternidade. Ser mulher e jovem significa estar entre as mais qualificadas academicamente e as menos qualificadas no emprego e ter maior jornada de trabalho diária.

O Governo promove a redução de salários, o aumento da precarização e das horas de trabalho não pagas, o congelamento do salário mínimo, o atropelo dos direitos e garantias dos trabalhadores, os despedimentos fáceis, os salários em atraso e o encerramento de empresas. A esperança dos jovens está a ser liquidada com o crescimento da emigração.

Está em marcha a destruição da Segurança Social, do Serviço Nacional de Saúde(SNS), do direito à educação com o anunciado roubo de quatro mil milhões de euros aos trabalhadores e reformados.

O ano de 2013 começou muito mal, com a degradação das condições de vida das mulheres e de uma quebra enorme dos seus rendimentos.

As subidas brutais do custo de vida, os aumentos das rendas de casa e dos impostos (IRS,IMI e a criação de novos impostos e taxas), dos transportes, energia, água, comunicações, e dos custos com a saúde e educação geram como nunca o empobrecimento de amplas camadas da população.

 Por isso o MDM reafirma que:  

  • A Austeridade não É Caminho Para A Igualdade.
  • A Redução De Direitos No Trabalho Não É Caminho Para A Igualdade.
  • A Destruição Da Protecção Social Não É Caminho Para A Igualdade.

É preciso romper, com urgência, o caminho da ruína em que a população e o país estão mergulhados.

Com a Força e Luta das Mulheres façamos do 8 de Março – Dia Internacional da Mulher – uma jornada com o entusiasmo e a confiança para mudar de política e de governo, retomar os caminhos da igualdade e de bem estar que Abril abriu. 

Nada é inevitável, as soluções alternativas de renegociação da dívida e de crescimento económico para garantir o emprego, apresentadas ao país há muito tempo, revelam-se credíveis e mesmo indispensáveis.

Retomar Abril é defender a Constituição da República Portuguesa, a soberania e a emancipação, defender a justiça social, lutar por mais igualdade, pelo fim da opressão e da discriminação, pelo fim da desumana exploração de quem trabalha e vive do seu salário.

O Dia Internacional da Mulher, 8 de Março, é o tempo das mulheres na defesa dos seus direitos e da sua dignidade.  
O tempo DE LUTA DAS MULHERES, É HOJE E AGORA! 
Com o MDM a participação, intervenção, ousadia e criatividade de cada uma contribui para a resolução dos problemas de todas.
ADIRA AO MDM


Manifestação Nacional de Mulheres, em Lisboa, no passado dia 13 de Março

Mais de 1000 mulheres participaram no dia, 13 de Março, nos Restauradores em Lisboa, na acção que culminou na Manifestação Nacional de Mulheres, organizada pelo MDM. Esta concentração, cumprindo todas as normas sanitárias que os tempos exigem, deu expressão aos problemas e reivindicações das mulheres dos distritos de Lisboa, Setúbal, Leiria, Castelo Branco, Portalegre, Santarém,

CNA apoia e participa nas comemorações do Dia Internacional da Mulher

CNA apoia e participa nas comemorações do Dia Internacional da Mulher POR OUTRAS E MELHORES POLÍTICAS PÚBLICAS GERADORAS DE IGUALDADE E JUSTIÇA SOCIAL Ao assinalar 43 anos sob o lema “Semear esperança, cultivar direitos para viver melhor”, a CNA reafirma a luta pelos direitos das mulheres, das mulheres agricultoras e rurais, pilar estruturante da produção

wb_gestao28M2013